Loading...
Sem categoria

Contos de Azrael – relatos com Padre Gonzales 9 – As criaturas da caverna

As criaturas da caverna

  • Este relato vem do alto do Tibet. Dois garotos cujo o nome não são ficam claros, mas chamaremos de Tenzin e Devhu.

Há semanas que os dois garotos andam escapando de seus afazeres. Principalmente dos horários de meditação. Costumavam ir para o meio do mato. Pelo menos estavam bem próximos da natureza. Entretanto, sempre existe o risco de se perderem.

Um dia, normal até então, mas já na caída da noite, e de novo os garotos haviam sumido. Mas desta vez foi diferente. Um clarão no horizonte chamava a atenção. Corremos todos para poder verificar o que estava acontecendo, e preocupados com os meninos. O clarão era subindo a montanha, mas o estranho, que pegava além da vegetação. Era algo claramente fora do natural. Algo provocado por alguém, ou por algo. Até se assemelhava a fogo grego. Tive uma sensação muito estranha.

Mas pelo menos achamos os garotos vivos e bem. Meio assustados, mas o importante é que estavam bem. Os levamos para o templo.

Tentando explicar o que aconteceu, falam da existência de criaturas nas cavernas mais no alto da montanha. Uma espécie de macaco gigante, meio humanoide e branco. Morando dentro de cavernas no pé da montanha. Ate falaram que um ou outro eram mansos, mas que tinha os nervosos mesmo assim. Não souberam dizer quantos, mas não parece ser muito. Diria uns 5 ou 6 no total.

Relatos de yetis não são novidades. Poderia ser travessuras de crianças? Talvez. Contudo o estranho, é quando relataram o que os levou a ficar inquietos. A origem do fogo. Uma figura humanoide de seus 1,80 andando calmamente e espalhando chamas. A própria figura era envolta a chamas, como o próprio fogo. Um espírito do fogo? Porque iria atacar os yetis? E porque ignorou os garotos?

One comment
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.