Loading...
Sem categoria

Luke Cage e o representante da luta contra o racismo

Racismo. Em um documentário na Amazon, pais negros têm que preparar os filhos para as batidas policiais e ficar por dentro da opressão do estado, basicamente. Um a cada três negros tem grandes chances de serem presos, sendo os mais afetados pela explosão carcerária. São apenas 13% da população estadounidense e mesmo assim representam quase 40% da população carcerária.

(https://internacional.estadao.com.br/blogs/claudia-trevisan/1-em-cada-3-negros-tem-chance-de-ser-preso-nos-estados-unidos/)

Um outro documentário diz que se você for negro, tem grandes chances de ser preso independente se for mesmo culpado ou não. E assim, entramos na origem de Luke Cage, que começa a sua história de origem preso por um crime que não cometeu e que é judiado por policiais lá dentro, até que se candidata para um experimento, sem garantias de sair vivo, mas caso saísse, teria a condicional.

Nos EUA, três a cada quatro pessoas são brancas, no entanto pretos tem 14 vezes mais probabilidade de morrer vítimas de armas de fogo do que pessoas brancas. Então a partir daí, vemos o poder simbólico em Luke Cage, que tem a pele a prova de fogo. Desde armas brancas, armas de pequeno porte e até mesmo a bazucas.

No texto sobre Homem Aranha, abordamos a importância dos problemas do protagonista com os nossos problemas do mundo real.

A Marvel foi uma das pioneiras no quesito representatividade, com a criação dos X-mens, mutantes que por serem diferentes, sofriam preconceito, sendo um representante das classes minoritárias nas HQs.

Bem, aí tem o fato de que os poderes mutantes são tão diversos que não difere muito de personagens como Capitão América, Capitã Marvel, Hulk e Homem Aranha. Mas fora isso, são um grupo de minorias exclusivos da ficção, ainda que represente um problema real, que é o preconceito. No entanto, com Luke Cage, temos um representante dos guetos de Nova York. Com histórias que abordam brigas de gangues, oportunidades, ou falta delas mesmo. Jovens que diante de tal realidade, problemas sociais, lutas de classes como por exemplo. Enquanto os ricos recebem melhores tratamentos médicos e os pretos, muitas vezes, deixados de lado; e as revoltas que isso gera.

Também temos os grupos esquecidos em Luke Cage, os latinos, os “heróis de guerra” que foram abandonados pelo seu país.

Já que o personagem surgiu pouco após a Guerra do Vietnã. Sendo um herói de aluguel, acaba enfrentando problemas mais mundanos, portanto problemas mais pé no chão, sem muito de ameaças espaciais, vilões com seu próprio planeta, vindo de alguma civilização diferente, e dessa forma consegue alcançar um público que estão entre os que mais sofrem no mundo, sobretudo nos EUA. Ainda que em algumas histórias, geralmente em aparições fora de suas HQs, ele enfrente problemas fora do comum ou apenas lutas que servem de teste de força (já foi contratado para lutar contra o Hulk, por exemplo).

Ele não é necessariamente o primeiro personagem super herói negro. Mas, pra tudo aquilo que existe um pai, existe os avós. Por exemplo, Resident Evil, pai do survive horror, mas Alone in the dark  veio antes. Bem como Doom o pai do FPS sendo que Wolfenstein 3D veio antes . Então, o mesmo vale com Luke Cage, ainda assim, está entre os de maior força na representatividade.

Consiga já o seu
Consiga já o seu
One comment
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.