Carregando...
Sem categoria

Gestalt nos Quadrinhos – parte 1

A teoria da Gestalt ou Teoria da Forma é uma das correntes de pensamento mais conhecidas para estudar a percepção. Corrente de pensamento que propõe que a simples união das partes não explica o todo. Conforme um de seus principais autores, Max Wertheimer, a percepção humana é estruturada e organizada e, por isso, não deve ser reduzida a elementos menores. Assim, “Gestalt” é uma palavra alemã que não possui uma tradução direta na língua portuguesa. Entretanto, é possível extrair alguns significados aproximados. Como forma, padrão, configuração ou totalidade.

Gestalt é uma escola de Psicologia experimental.

Considera-se que Von Ehrenfels, que viveu no fim do sex XIX, é o precursor da psicologia de Gestalt. Já em 1910 com Max Wertheimer (1880-1943), Wolfgang Köhler (1887-1967) e Kurt Koffka (1886-1940) que de fato criaram as leis da Gestalt. O principal campo de atuação foi o estudo da forma. Com contribuição ao estudo da percepção. Bem como a linguagem, inteligência, aprendizagem, memória, motivação, conduta exploratória e dinâmica de grupos sociais.

Wertheimer pôde provar experimentalmente que diferentes formas de organização perceptiva são percebidas de forma organizada. E também com significado distinto por cada pessoa. Isso pode ser visto nas figuras do Cubo de Necker e do Vaso de Rubin. Onde o todo é maior do que a soma das partes que o constituem. Por exemplo, uma cadeira é mais do que quatro pernas, um assento e um encosto. Uma cadeira é tudo isso. Mas também é mais que isso. Está presente na nossa mente como um símbolo de algo distinto de seus elementos particulares. Nos Quadrinhos, temos que ter em mente que a composição de uma página não se limita ao quadro. Mas sim à página como um todo. Que é todo o conjunto de quadros.

 

De acordo com a gestalt, a arte se funda no princípio da pregnância da forma.

O importante é perceber a forma por ela mesma. Ver ela como “todos” estruturados, resultados de relações. A Gestalt, através de pesquisas,  nos apresenta uma teoria nova sobre o fenômeno da percepção. Segundo esta teoria, o que acontece no cérebro não é idêntico ao que acontece na retina. A excitação cerebral não se dá por pontos isolados, mas por extensão. A primeira sensação já é de forma, já é global e unificada. O postulado da Gestalt no que se refere às relações psicofisiológicas pode ser definido como todo processo consciente. Bem como toda forma psicologicamente percebida, está estreitamente relacionada com as forças integradoras do processo fisiológico cerebral.

A tendência à estruturação, por exemplo, explica como os diferentes povos distinguem grupos de estrelas e reconhecem constelações no céu. A configuração ideal mais conhecida é a proporção áurea dos arquitetos e geômetras gregos. Isso explica muitas das formas que se tornam agradáveis aos olhos humanos. As empresas de publicidade e os criadores de signos visuais, as marcas. E são grandes usuários da descoberta dos símbolos e de seu poder de atração, a pregnância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.