Loading...
Sem categoria

Ditadura no ar

“Se o esquecimento pudesse apagar certos eventos na história, a Ditadura Militar no Brasil seria digna de esquecimento”

“…como já ouvi algumas pessoas dizerem: ’Ah, no tempo da ditadura era muito melhor’
Na época da Ditadura, eles não poderiam dizer: ‘Ah, mas antes era muito melhor”

E essas frases estão logo no início do quadrinho. E explica muito bem do que se trata a HQ. A história do fotógrafo freelancer Félix Panta, que tenta descobrir o paradeiro de sua namorada comunista Nina, presa pelo DOPS durante um protesto.
O “no ar” faz menção também ao “noir”, estilo de filmes que são subgêneros de filmes policiais, derivado do romance de suspense influenciada pelo expressionismo alemão, o qual teve o seu ápice nos Estados Unidos entre os anos 1939 e 1950. Com detetives que tem aquele estilo mais solitário, carrancudo e moralmente duvidoso. As histórias com aspecto sombrio em sua estética. E nisso podemos definir a estética deste quadrinho. O protagonista é um jornalista investigativo, com uma personalidade do tipo mais grosseiro, individualista que só quer ficar na sua e não liga muito para a situação política do país (mesmo não concordando). A investigação se deve ao paradeiro da namorada dele, uma comunista que faz o estilo femme fatale, e ela que o tira da apatia. E o mais importante, nenhum dos 2 se encaixariam no contexto de “vagabundos” que geralmente falam que as pessoas pegas naquela época eram.
A arte é muito boa e a utilização das cores, é o ponto forte da obra, artisticamente falando. Bastante utilização de escuro, quadros monocromáticos e mesmo quando não são monocromáticos, pouca utilização de cores e sempre de forma não muito viva, sem muito brilho transmitindo uma sensação de melancolia ao clima da história. E a narrativa é bem fluida.
E um dos elementos mais importantes, é baseados em relatos reais. Inclusive no trabalho de tentar retratar o vocabulário da época. O que torna a obra mais importante para uma maior compreensão do atual contexto que vivemos, afinal, o estudo da história serve para que não cometer os mesmo erros do passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.